saudepsi.com.br
depre.jpeg

CRISE ou CRISES

 

A crise pode ser entendida como uma “perturbação numa ordem pré-estabelecida”, quando as coisas saem do lugar ou fogem ao nosso controle, podemos dizer que estamos vivendo uma “crise”. Pior, ainda, se esse descontrole for de ordem interna, ou seja, quando nós perdemos nosso controle emocional.

Esse controle emocional é mais do que simplesmente “estar de bem com a vida” ou com os outros. Significar “estar de bem consigo mesmo”. Com isso, o “nosso eu (equilibrado) se reflete no nosso ambiente, influenciando-o”. Se estivermos em desequilíbrio, o ambiente ao nosso redor nos dará indícios disso.

Se pudermos ampliar esse raciocínio para nossa Cidade, nosso Estado, nosso País e, também, para nosso Planeta, facilmente perceberemos que alguma coisa não vai bem. Pais se desentendendo com os filhos ou não os criando como deveriam, com regras, limites e carinho. Crianças sendo levadas para “tratamento psicológico” porque não respeitam os mais velhos (inclusive seus pais), por não conseguirem se alfabetizar, ou por falta de estimulação no seu desenvolvimento (falta da criatividade e do brincar). A violência cada vez maior (talvez por influência dos desenhos animados ou jogos de vídeo-game que nossas crianças “brincam”?). Doenças antes sob controle ou extintas que retornam com força total e matam os brasileiros. Para finalizar, o Planeta “morrendo” e, pior, avisando que isto “está acontecendo”.

Não há dúvida: estamos em crise! Numa crise existencial que parte do individual para o global, do indivíduo para todos. O que essas “crises” significam? O que estão querendo nos dizer? Para quais caminhos apontam? Como o sintoma de qualquer doença, a crise traz em si a solução. O difícil, então, é descobrir o seu significado, ou seja, ao invés de buscar um “porque”, deve-se tomar consciência do “para que” isto ou aquilo está ocorrendo (?)..

Como já dito, tudo se inicia no indivíduo e se reflete no todo. Decorre disso que, a “cura”, necessariamente, tem que fazer o mesmo caminho. Cuidar-se de si, de seus valores, de seus sonhos, de seus desejos, de suas angústias, de suas dores, de seu sofrimento, de sua vida (muito mais do que da dos outros), trará a você a sabedoria (“conheça-te a ti mesmo”) e a paz. Um caminho para isso? A psicoterapia. Mas lembre-se: “a escolha (do que se quer ser, viver ou ter) é sempre sua”.

pic_1440.gifpic_2777.gifpic_5742.gif